HISTÓRIA da CLOROFILA

Há 3,6 bilhões de anos apareceu na Terra as primeiras formas de vida, ou seja, fotossintéticos clorofila capazes de converter a energia solar em energia para a vida. Isso já nos dá uma idéia da importância do verde na natureza para a origem da vida. 

 

Os egípcios em 3500 a.c utilizavam o trigo em todas as suas formas, inclusive brotos de trigo, para alimentar toda a sua população. Os Essênios no século II a.c usavam o trigo germinado no pão essênio e para extrair sucos de clorofila. 

Já na Índia brotos de trigo são conhecidos pelo seu valor terapêutico desde os tempos antigos. Tem sido uma parte da rica herança cultural do país e sua importância se reflete em muitos rituais. Hindus oferecem “Durva” (grama verde) para o elefante Ganesha Deus, e brotos de trigo cultivados durante nove dias para uso no (festival Laxmi) ‘Navratri’. Todos os anos, desde os tempos antigos celebram este festival usando o broto milenar de trigo. Clorofila é reivindicada a ser o ingrediente ativo dessa erva.

Em 1930, o valor da clorofila na saúde humana é assegurada quando o cientista alemão Hans Fischer foi agraciado com o Prêmio Nobel de Química por seu trabalho sobre a composição estrutural da clorofila e o sangue. Hemoglobina animal é uma molécula de sangue de cor vermelha que transporta oxigênio dos órgãos respiratórios para os tecidos. Clorofila vegetal é verde e é a energia solar sintetizada por plantas e algas. A estrutura química da clorofila é semelhante à hemoglobina no sangue, diferente apenas em relação ao elemento central da clorofila que é um átomo de magnésio, enquanto que na hemoglobina é um átomo de ferro. Clorofila se destaca como uma substância antioxidante, por seu potencial anticancerígeno, por sua capacidade oxigenadora celular, tônica e regenerativa.

Em 1931, Charles Francis Schnabel, um químico agrícola americano, descobriu que a grama de trigo atinge seu maior pico nutricional antes da fase em que desenvolve sua “espiga”, isto é, em sua instância de grama. Sua pesquisa foi inovadora ao descobrir que o valor nutricional de pastagens varia em diferentes fases da vida da planta. Em 1934, foi pedida uma patente para o processamento e produção de brotos de trigo para uso animal e complemento alimentar humano a fim de proporcionar benefícios à saúde.

Em 1940, em The American Journal of Surgery, os pesquisadores Cruskin Benjamin recomenda clorofila por seus benefícios anti-sépticos. O artigo sugere os seguintes usos clínicos para clorofila: neutralizar odores desagradáveis, combater infecções strep, curar feridas, acelerar o enxerto de pele, curar sinusite crônica, drenagem e inflamação do ouvido, reduzir varizes, úlceras de perna, impetigo, curar feridas retal, tratamento de inflamação do colo do útero, eliminar infecções vaginais parasitárias, reduzir a febre tifóide, pyorrhea, fortalecer o sistema imunológico e desintoxicar o corpo a nível celular.

No mesmo ano, um homem chamado Charles Kettering (ex-presidente do conselho da General Motors) doou dinheiro para o estudo da clorofila. Assim, a clorofila foi estudada de forma intensiva por médicos que utilizam os padrões exigidos pela FDA (Food and Drug Administration dos Estados Unidos), gerando escrito mais de 40 artigos em revistas médicas e científicas sobre os efeitos curativos da clorofila. Estes médicos descobriram que a clorofila é um grande curador e usada como tal.

O famoso Dr. Bircher-Benner afirmou que “clorofila melhora a função cardíaca, afeta o sistema vascular, os intestinos, útero e pulmões. Também aumenta a troca de azoto e é, portanto, um tônico que, considerando suas propriedades benéficas , não pode ser comparado com qualquer outro.” De acordo com Dr. Bircher- Benner, o suco de grama de trigo e outros brotos de vegetais crus e verduras são puras “energia solar concentrada.” Este é o poder que reside em plantas que lhes permite ser a maior forma de vida na Terra e está à nossa disposição para usar para o benefício de nossa saúde física e mental.

Dr. Bernard Jensen confirmou que leva apenas alguns minutos para digerir o suco de clorofila e o corpo utiliza pouca energia para isso. Segundo o Dr. Jensen, alimentos ricos em clorofila agem como armazenamento de energia de luz solar e funcionam de forma semelhante à vitamina D em relação à regulação do cálcio no organismo. Muitos dos benefícios que o homem recebe do sol pode ser obtido a partir de alimentos ricos em clorofila verde escura.

Mas foi a Dra. Ann Wigmore de origem lituana e que viveu nos Estados Unidos, que aplicou esse conhecimento sobre a  clorofila em um estilo de vida e poder pessoal conhecido como “Living Foods” (alimentação viva), comida à base de frutas e vegetais crus em seu estado natural, sem cozinhar. Ela obteve curas extraordinárias e em seguida, em 1968, fundou o Instituto de Saúde Hipócrates, onde as pessoas  até hoje, aprendem uma nova forma de vida baseada na utilização de alimento vivo. 

Lembrando que em 1931, Otto Heinrich Warburg ganhou o Prêmio Nobel de Medicina por seus estudos sobre a relação entre câncer e oxigênio, e descobriu que o câncer é multiplicado na ausência de oxigênio. Warburg demonstrou que todas as formas de câncer são caracterizadas por duas condições básicas: a acidez e hipóxia (falta de oxigênio). Ele também descobriu que as células cancerosas são anaeróbias (não respiram oxigênio) e não pode sobreviver na presença de altos níveis de oxigênio. No entanto, elas sobrevivem em glucose, desde que o ambiente seja livre de oxigênio.

A Dr. Ann Wigmore aplicou na prática estes conhecimentos sabendo que a clorofila tem grandes quantidades de oxigênio. A pesquisa de Wigmore é particularmente baseada na clorofila presente no suco de grama de trigo, um tipo de consumo de clorofila que revolucionou a cultura popular, especialmente na América do Norte. ​A alimentação “crua” consiste de alimentos naturais, sem aditivos artificiais, e sem ser exposto a uma temperatura mais elevada produzida pelo sol, ou seja, cerca de 40 ° C. A expressão relacionada é “alimentação viva”, que indica nomeadamente a qualidade dos alimentos frescos e vitalidade dos brotos.

Em 1980, Dr. Chiu Nan Lai, da Universidade do Texas Medical Branch, informou que extratos de clorofila em vegetais verdes inibem os efeitos cancerígenos de dois agentes mutagênicos, o benzopyreno e methylcholantreno. As provas de Ames testes mostram que a clorofila líquida neutraliza a ação cancerígena do pó de carvão, rapé e de outros compostos.

O extrato de clorofila líquida fornece a melhor proteção contra doses letais de radiação e raios-X. Em um estudo realizado ao longo de 20 anos e 20.000 trabalhadores para uma empresa de telefonia descobriu que o ingrediente natural na cenoura e verduras reduz significativamente o risco de câncer de pulmão em fumantes de cigarro. Foi determinado que uma dieta rica em beta-caroteno pode substituir os efeitos negativos de 30 anos de tabagismo. O National Cancer Institute relata que 19 de 21 estudos ao longo dos anos têm indicado que uma dieta rica em beta-caroteno contribui, pelo menos, 40% de redução no desenvolvimento de alguns tipos de câncer. Incluindo clorofila ajuda a aliviar os efeitos da quimioterapia.

O wheatgrass aumenta a oxigenação do sangue durante o exercício e recuperação pós-exercício. A hemoglobina do sangue transporta o oxigênio para todas as células e tecidos do corpo. Um dos principais factores que determinam o bom funcionamento do tecido cerebral e muscular é a sua capacidade para receber o oxigênio do sangue. Fadiga muscular e cãibras após o exercício extenuante, acontece em grande parte porque o tecido muscular não pode obter o oxigênio que necessita para a produção de energia normal, que utiliza vias anaeróbias. Isto provoca o aumento de ácido láctico nos músculos.

Clorofila é igual a hemoglobina, molecularmente falando, sendo assim, gera mais glóbulos vermelhos produzindo uma oxigenação do sangue. Cientistas e pesquisadores da Universidade de Mercyhurst realizaram um ensaio clínico para estudar o impacto de suco de grama de trigo na oxigenação do sangue. Trinta participantes correram em uma esteira por 20 minutos a moderada e alta intensidade (com base na frequência cardíaca), enquanto os cientistas mediam o teor de oxigênio no sangue por oximetria de pulso. Todos os participantes foram submetidos a testes de exercício duas vezes, uma vez depois de beber a clorofila do wheatgrass e novamente depois de ter bebido um “placebo”. A ordem dos testes foi aleatória. Quando os participantes consumiram 60 ml. de suco de grama de trigo 20 minutos antes do exercício, eles tiveram níveis mais altos de oxigênio no sangue. Em outras palavras, a grama de trigo foi capaz de melhorar a capacidade do sangue para transportar oxigênio durante o exercício.

Atualmente Dr. Gabriel Cousens é a mais alta autoridade internacional de saúde e nutrição de comida vegetariana orgânica viva. Doutor em Medicina, Doutor em Homeopatia, Diplomate of the American Medical Association Holística e Diploma em Ayurveda, é também Psiquiatra, Médico Pesquisador, Professor Essênio, pacifista e líder ambientalista. ​Dr. Cousens afirma que o magnésio é dezessete vezes mais presente no coração do que em qualquer outro órgão. Por isso, ele recomenda o consumo de clorofila, uma vez que tem grandes quantidades de magnésio e é isso que o torna tão benéfico para a saúde, entre outras qualidades.

Dr. Gabriel Cousens usa suco de grama de trigo como um superalimento para desintoxicar o corpo e desenvolve tratamentos naturais para doenças como diabetes, promovendo um veganismo cru saudável, no centro de saúde natural Árvore da Vida; um centro de bem-estar educativo espiritual e saúde no Arizona, Estados Unidos.​

Solar Wheatgrass | CNPJ 29.973.067/0001-94 | Tel (43) 9 9996 5779 | jay_nascerdosol@hotmail.com | Estrada Betânia 160 k3, Fazenda Nata, Londrina - PR

Copyright 2018 © Todos os Direitos Reservados